Terra X [HQview Marvel]

Terra X foi uma maxi-série em 14 partes (12 mais o prelúdio e o epílogo) escrita por Alex Ross e Jim Krueger e desenhada por John Paul Leon com designs e capas do próprio Ross. Ela conta o futuro próximo da Terra quando os Celestiais voltarão para colher a semente que plantaram na humanidade milênios atrás. A história é narrada pelo Vigia Uatu e seu novo assistente, X-51, o Homem-Máquina. A Panini lançou recentemente esta série em uma excelente edição encadernada, corrigindo uma falha miserável da editora Mythos quando esta lançou-a cortando quase metade das páginas. Vamos à sinopse:

Publicada pela primeira vez em 1997 nos Estados Unidos, Terra X mostra um futuro alternativo distópico para o Universo Marvel, idealizado pelo consagrado ilustrador americano Alex Ross. A trama, originalmente narrada numa maxissérie em 12 edições, é ambientada num porvir no qual todos os habitantes da Terra tornam-se superpoderosos, e como esse novo status quo afeta os antigos heróis e a vida em todo o planeta. Escrita por Jim Krueger, com arte de John Paul Leon e Bill Reinhold, a obra deu origem a mais duas maxisséries: Universe X e Paradise X. Lançada no Brasil em 2001, a obra finalmente ganha uma versão integral encadernada, com mais de 200 páginas inteiramente inéditas no País, que fazem deste livro uma peça essencial na coleção de qualquer amante dos quadrinhos e dos incomparáveis heróis Marvel.
(Earth X 1-12; Earth X 0 e Earth X X)
Formato americano, 472 páginas, papel couchê, capa dura
Editora: Panini Brasil

Argumento, design de personagens, epílogo e capas: Alex Ross
Argumento e roteiro: Jim Krueger
Desenhos: John Paul Leon
Arte-final: Bill Reinhold
Cores: Matt Hollingsworth, Melissa Edwards e James Sinclair

Publicação original: Earth X #0, #1 a #12 e X (março de 1999 a junho de 2000)

Terra X é uma obra quase filosófica. Acima de tudo, ela é um diálogo entre dois personagens sobre as origens, as motivações e o destino do Universo Marvel. Ela busca (e consegue) sintetizar a história de todos os personagens Marvel em um único grande plano universal engendrado pelos Celestiais.

A história começa com Aaron Stack (X-51 ou Homem-Máquina, personagem criado pelo rei Jack Kirby em 1977) sendo convocado pelo Vigia Uatu, que o leva até a Lua e arranca sua carapaça humana, deixando-o na forma de robô. Há 20 anos que Uatu está cego, e neste tempo a Terra mudou consideravelmente. A humanidade evoluiu muito em pouco tempo, de modo que agora todos possuem super-poderes, é uma terra de mutantes, uma Terra X. O Vigia precisa observar e registrar estes fatos, mas agora que está cego, ele necessita de um ajudante, e o escolhido foi X-51.

X-51 começa então a observar a Terra e relatar os acontecimentos a Uatu, mas ele ainda possui muitas emoções humanas, que Uatu tenta suprimir, de modo que a observação seja isenta. É então que o antigo Vigia começa a contar para o novo as origens do nosso planeta, para que ele entenda que a humanidade não é tão importante, ela é apenas momentânea, não esteve aqui desde o início e não permanecerá até o final, e que o importante é a observação da Terra.

E foi neste momento que a história me pegou de jeito, pois Alex Ross e Jim Krueger conseguiram unir e resumir de forma espetacular as origens de todas as raças que estiveram envolvidas no início dos tempos de acordo com a história da Marvel: Celestiais, Deviantes, Eternos, Krees, Inumanos, Asgardianos, Olimpianos, todos esses foram reunidos numa única e coerente história. Dá vontade de contar toda a história aqui, mas eu irei me conter e instigar os interessados a lerem, porque o modo como é contado lá é excelente, e muito melhor do que eu poderia fazer aqui.

A partir daí, na Terra surge um novo Caveira Vermelha, o que força Steve Rogers a sair da aposentadoria e reunir antigos heróis para derrotá-lo. O destino de alguns heróis é muito bem bolado também. Apenas para citar alguns:

  • Quarteto Fantástico: desfez-se quando Susan Richards e Johnny Storm morreram em um confronto contra o Doutor Destino. Reed Richards agora vive no castelo de Destino, usando sua armadura e lamentando-se pela perda de sua esposa e por considerar que foi ele quem causou a transformação de toda a raça humana ao empregar vibranium para fornecer alimentos à população mundial. O Coisa casou-se com Alicia Masters e tem dois filhos gêmeos, que também possuem a sua forma de pedra.
  • Homem-Aranha: Peter Parker se aposentou, está grisalho e barrigudo. Sua esposa morreu e sua filha May combate o crime utilizando-se do simbionte que um dia foi Venom.
  • Luke Cage: Tornou-se policial em Nova York.
  • X-Men: Charles Xavier morreu e o grupo debandou. Ciclope perambula sem destino por Nova York. Wolverine se casou com Jean Grey e passa o dia sentado em frente à televisão tomando cerveja. Colossus se tornou presidente da Rússia. Tempestade se casou com o Pantera Negra e o Fera é o conselheiro da corte.
  • Hulk: Conseguiu se separar de Bruce Banner, mas não totalmente. Apesar de duas criaturas separadas, Bruce e o Hulk continuam ligados por um tipo de elo mental, onde Bruce é a alma do Hulk, e enxerga pelos seus olhos, enquanto o Hulk é uma criatura irracional domesticada, controlado por Banner.

Ao mesmo tempo, os Inumanos retornam de sua longa viagem ao espaço para casar Luna (a filha de Cristalys e Mercúrio) com o filho de Raio Negro e Medusa. Mas todas essas coisas que acontecem na Terra servem apenas como base para o diálogo entre X-51 e Uatu, que é realmente o centro da história.

Depois de muita conversa, Uatu convence X-51 a apagar sua personalidade, pois ela estaria atrapalhando demais sua observação que deveria ser imparcial. X-51 suspeita demais da insistência do Vigia na imparcialidade, quando ele mesmo já interferiu nos assuntos dos heróis da Terra em várias situações. Então ele apenas finge apagar sua personalidade, e quando Uatu descobre a farsa já é tarde demais, e ele já sabe o grande segredo envolvendo os Celestiais, os Vigias, Galactus e o propósito da humanidade. Quer saber que segredo é esse? Eu é que não vou contar! Compre a edição da Panini e leia, porque vale muito a pena. Só uma dica: tem a ver com o modo de reprodução dos Celestiais.

Terra X pode ser considerada como o “Reino do Amanhã” da Marvel. Mostra muito do futuro deste universo e, assim como na história da DC, é interessante notar que muitos aspectos criados aqui foram aproveitados e incorporados no Universo Marvel tradicional. O casamento do Pantera Negra com Tempestade é apenas um deles. O mais recente é a bomba de névoa terrígena, utilizada na Guerra dos Reis.

Terra X é uma história que me surpreendeu muito. Não esperava que eu fosse gostar tanto, principalmente por achar que Alex Ross não é tão bom assim como roteirista. Mas eu estava errado, pois a história é sensacional. E o principal motivo disso, além do plano milenar dos Celestiais que uniu toda a mitologia da Marvel, é que a história é construída com base no diálogo de duas pessoas. O mais interessante da história é o diálogo, são as descobertas, as filosofias, as intenções e os pensamentos expressados neles. A luta dos heróis contra o Caveira Vermelha é meramente secundária, servindo apenas de escada para os diálogos.

A edição da Panini é muito boa também. É um tijolão de 476 páginas em papel couchê e capa dura, contendo uma introdução por Joss Whedom, um posfácio por Jim Krueger e os anexos de todas as edições, que muitas vezes são mais interessantes que a edição em si. Esses anexos trazem extensões dos diálogos travados na edição, e servem para aprofundar ainda mais o entendimento da trama.

Nota: 10,0

Pra comprar:

Links:

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com