Resenha (filosófica): Superman Pelo Amanhã – Parte 7

[Introdução] / [Parte 1] / [Parte 2] / [Parte 3] / [Parte 4] / [Parte 5] / [Parte 6]

Novamente é hora de debater Superman – Pelo Amanhã. Em sua sétima partea parte, esta grande jornada que conta com Brian Azzarello (roteiros), Jim Lee (arte), Scott Williams (arte-final), Alex Sinclair (cores) e Eddie Berganza (editor) retomando o assunto principal desta saga: o desaparecimento de milhões de pessoas e o dispositivo que causou esta estranha e inesperada tragédia.

Azzarello novamente brinca com o tema da salvação ao narrar rapidamente um sonho do Padre Leone, no qual o Superman o salva da danação da queda, mas o herói transforma-se no temível vilão Equus. Acordando assustado, o Padre começa a vomitar sangue novamente, causado pelo câncer que carrega. Ao encontrar-se com o herói no dia seguinte, Kal-El é confrontado: poderia ele curar o câncer?

O Homem de Aço não sabe. Nunca tentou. Nem quer tentar. Mas vendo a situação de seu novo amigo (que na noite anterior deu seu primeiro passo para um pacto com o demônio ao cruzar com o Sr. Orr e cair no seu papo), o leva para sua Fortaleza da Solidão e mostra como é a vida de Kal-El, o reino de Krypton que se foi e tecnologias e conhecimentos jamais imaginados por qualquer ser humano.

Deixando o aspecto filosófico quase todo de lado neste sétimo capítulo, Azzarello prefere rumar-se diretamente para a segunda parte de sua narrativa e nos mostra que Superman tem um plano, e os heróis não podem aceitá-lo. Em diálogos com o Batman (um diálogo bem sacado, aliás), Kal esfrega na cara do Morcego que a verdadeira face dele é o Batman e não Bruce Wayne, enquanto a sua é Kal-El, não o Superman. E pede ao amigo: “você é o melhor, mas preciso que você seja ainda melhor”. Demora um pouco, mas o Homem-Morcego entende a mensagem, ao mesmo tempo em que a Mulher-Maravilha também descobre numa confrontação com o Sr. Orr junto a Alcíone (a bruxa que convocou os elementais no capítulo anterior): Superman pretende usar a arma novamente, mas desta vez em si mesmo.

Utilizando-se da clássica motivação heroica do auto-sacrifício, Superman quer ver o que está do outro lado, mas há pessoas prontas para impedi-lo.

Reflexões e Anotações

[Nota: A numeração das páginas segue o padrão da versão encadernada da Panini]

147-Superman aparece no quadro oferecendo a salvação como Jesus, humilde e honesto. De certo Jim Lee pegou alguma referência religiosa para desenhar esta imagem e o fez muito bem. A aura envolvendo o super-herói é bastante messiânica.

152-Uma coisa podemos concluir sobre o Sr. Orr: com esta roupa o cara só pode ser bicheiro!

3 Comentários

Clique para comentar

três × três =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com