Resenha (filosófica): Superman Pelo Amanhã – Parte 1

[Introdução]

A primeira parte de Superman: Pelo Amanhã é uma apresentação conceitual dos muitos assuntos que a história tocará no decorrer de seus próximos onze capítulos. Existe uma característica muito relevante que percebe-se logo nas primeiras páginas, já nos primeiros diálogos, deste capítulo inicial que é a forma como se entende temas metafísicos e significados amplos de frases bem colocadas.

“Não é fácil ser eu. Sei que isso soa bastante egocêntrico, mas, até aí tenho me sentido um tanto egoísta ultimamente. E egoísta é algo que eu não tenho o direito de ser. As pessoas esperam… necessitam… que eu seja altruísta. Ou necessitaram… uma vez.”

Com estas frases Pelo Amanhã se inicia, desenvolvidas a seis mãos por Brian Azzarello, Jim Lee e Scott Williams. O que é fantástico nestas primeiras falas, que soam à visão da grande cidade do amanhã, é que ela parece ser dita pelo Superman quando, na verdade, é dita pelo Padre Leone, que estava ouvindo as confissões da Tenente Lupé, antiga namorada sua antes que ele se ordenasse. A conversa é fantástica e já dá pra todos entenderem, de forma sutil, muito sobre estes personagens: anos atrás eles foram amantes, cada um seguiu um caminho na vida e agora eles se reencontram – Lupé até comenta que, ao perceber que todas as pessoas do mundo possuem uma conexão, próxima ou distante, isso a fez chorar. Este é outro tema central da trama, a conexão especial que cada pessoa tem com outra neste planeta, tema que também foi muito recorrente no seriado Lost.

Seguindo a história, o Superman chega na Igreja e começa uma conversa com o padre que parece ser uma confissão e é então que aprendemos do que se trata o mistério de toda esta saga: 1 milhão de pessoas sumiram da Terra sem a menor explicação exatamente no momento em que Kal-El saiu do planeta para salvar o Lanterna Verde (Kyle Rayner) em perigo do outro lado do universo. Ao voltar em solo terrestre ele ouve as notícias nos mais variados idiomas e percebe que sua ausência foi catastrófica. Pior: o problema tocou diretamente em sua vida, pois Lois Lane é uma das desaparecidas.

O acontecido é bastante simétrico – um milhão de pessoas sumiram exatamente quando ele estava há um milhão de quilômetros longe do planeta Terra. Ao garantir a confiabilidade do Pe. Leone, Kal-El revela alguns de seus piores medos, tenta passar uma mensagem de esperança, mas não esconde a preocupação de não ter pistas do que aconteceu. Tendo alcançado a liberdade com este homem de Deus, ele revela que tem uma esposa, uma vida sem o uniforme, mas não revela sua identidade.

“Meu pecado? Foi salvar o mundo”.

Quando se para pra pensar no que os humanos fazem entre si próprios e com o mundo à sua volta, não é de se pensar que alguém como Jesus (ou qualquer outro, seja lá qual for sua crença) se sacrificou para quem não merecia? Não teria sido um erro do Superman escolher olhar para o mundo de cima e esquecer de ser humano e andar nas ruas com os que quer proteger? São poucos mas muito importantes questionamentos que nos levam a perceber a qualidade desta trama e da simbologia quase antropológica que estes personagens carregam em suas histórias.

O Superman parte para salvar o mundo de outro perigo. Leone fica frente ao altar da igreja com as mãos no peito como se orasse por algo melhor para este homem, tão poderoso e ao mesmo tempo tão frágil pela culpa que tem em seu peito, no mesmo lugar em que ficar seu símbolo de poder: o “S”.

Reflexões e Anotações

[Nota: A numeração das páginas segue o padrão da versão encadernada da Panini]

9-Jim Lee mostra uma Metrópolis um pouco diferente no que estamos acostumados, justamente para seguir a tonalidade do conto. Vemos alguns subúrbios e pessoas mais pobres, como normalmente não aparecem em histórias do Super.

14-Esta imagem se tornou clássico instantâneo. A visão messiânica do Superman é indescritível, e deixa Padre Leone de joelhos. É difícil, para um Cristão, imaginar que exista alguém tão poderoso quanto ele.

18-20-Kal-El faz um jogo com o padre para ver se pode ganhar a sua confiança até chegar onde quer: fazer sua confissão.

31-Imagem clássica de Superman #1 revivida por Jim Lee aqui, mas revertendo seu conceito: ao invés de termos o homem poderoso que observa a tudo com um sorriso no rosto, temos alguém preocupado e desesperando para encontrar os que procura.

Ainda nesta semana teremos mais sobre o assunto. Até lá!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com