Crise Final: A Vingança dos Vilões

cfe1-capaA Vingança dos Vilões é uma minissérie de três edições publicada em 2008 nos EUA, e em 2009 no Brasil na revista Crise Final Especial nº 1. A série é ligada ao mega-evento Crise Final, e é escrita por Geoff Johns e desenhada por Scott Kolins, que foram um grande sucesso na revista mensal do Flash de 2001 a 2003 lá fora. Nesta história, a Galeria de Vilões saem numa jornada de vingança por terem se tornado ferramentas no assassinato de Bart Allen, o quarto e mais jovem Flash do Universo DC tradicional, quebrando a regra número um do grupo (instituída pelo próprio Johns) que é “nunca matar um velocista”.

A História

Quando a oportunidade de pegar um dos responsáveis por isso, Inércia, se apresenta, o Capitão Frio diz aos seus que eles devem quebrar sua regra número um mais uma vez, e pela última vez – eles querem matar Inércia.

Após escaparem do Planeta dos Condenados, o Capitão Frio, Mestre dos Espelhos, Mago do Tempo e Onda Térmica retornam do esconderijo em Keystone, apenas para descobrir que o lugar foi invadido por uma gangue de moleques liderados pelo Trapaceiro. Dando fim em todo mundo, o Capitão Frio declara que após cumprirem seu objetivo, a Galeria de Vilões está acaba e vai debandar.

Enquanto isso, no Departamento de Polícia de Keystone, os detetives Chyre, Morillo e Ashley Zolomon estão investigando o assassinato de Bart Allen – enquanto discutem sobre os Vilões, eles são atacados pelo Flautista, que rouba o testamento de James Jesse. Mais tarde ele é visto na mensão Rathaway, estudando este testamento, o qual contém uma série de informações sobre a Galeria escritas com uma tinta invisível.

cfe1-h1-p1 cfe1-h1-p2 cfe1-h1-p3

Iris Allen, em sua casa, lembra-se de seu marido quando uma voz chama pelo seu nome, e um raio cai bem à frente de sua janela.

O misterioso vilão Libra faz um discurso sobre sua Religião do Crime e a Sociedade Secreta em seu QG, localizado em Keystone, quando é interrompido pelo Doutor Luz, que recebeu uma mensagem da Galeria dos Vilões – a negação do Capitão Frio ao seu convite de união de vilões em nome de uma força maléfica maior. Mas Libra não aceitará esse “não” em silêncio.

No Museu do Flash, Warden Wolfe e dois guardas estão prestes a transferir o paralisado Inércia para Iron Heights – quando, de repente, um raio vermelho cai sobre o jovem vilão e liberta-o. Mais uma vez capaz de se mover, Inércia rapidamente mata os guardas e corre para a casa de Wally West, onde ele pretende matar os filhos do Flash, mas acaba sendo impedido pela mesma pessoa que o libertou: Zoom, que quer que ele se torne o novo Kid Flash. Quando ficam sabendo da escapada de Inércia, a Galeria de Vilões decide quebrar sua regra número um pela última vez antes de aposentar-se, e isso se resume à morte do jovem e impulsivo vilão.

cfe1-h1-p4 cfe1-h1-p5

Os vilões começam sua jornada visitando seu costureiro, Gambi, e acabam encontrando-no abatido e à beira da morte. No local havia um espelho bem similar ao usado pelo Mestre dos Espelhos, que contém uma mensagem desafiante da nova Galeria (que apareceu pela primeira vez em Submundo de Gotham, sendo recrutados pelo Pinguim), que nada mais são que contrapartes dos integrantes atuais da verdadeira Galeria de Vilões. O desafio consiste em se render ao Libra, ou então o pai do Capitão Frio será morto. O Capitão, é claro, aceita o desafio e ameaça matar, ele mesmo, seu próprio pai, e o Mestre dos Espelhos consegue rastrear a origem da transmissão. Lá, cada vilão luta e mata sua contraparte, e o Capitão confronta seu próprio pai sobre seus abusos de infância, mas não consegue matá-lo, pedindo que o Onde Térmica faça o serviço.

Zoom continua fazendo com que Inércia assuma a identidade de Kid Flash e a velocidade do garoto não vem mais da Força de Aceleração, mas sim do próprio Zoom e da linha do tempo. Libra decide então focar em outro membro da Galeria, o Mago do Tempo, raptando seu pequeno filho – a ideia dele é fazer com que esses vilões estejam ao seu lado no momento de enfrentar os Flashes, pois ele sabe que eles sempre se envolvem com as Crises.

final-crisis-rogues-2-capaApós o capítulo anterior, todos os vilões rumam para o velho laboratório do irmão do Mago do Tempo, onde o vilão se recorda de tudo que aconteceu a ele anos atrás, enquanto o Mestre dos Espelhos, eventualmente, localiza Zoom e Inércia, os atacando durante uma sessão de treino logo em seguida. O Flautista entra no jogo, imobilizando ambos os lados da briga, esmagando a cara do Mestre dos Espelhos por ter matado seus pais.

A luta é interrompida pelo Libra, que atinge e culpa o Flautista por blasfemar, alegando que era um mensageiro de Nova Gênese, e então dá um ultimato ao Mago – unir-se a ele ou seu filho irá morrer. O vilão alega que pôde matar seu próprio irmão, e não hesitaria em matar seu filho caso fosse necessário. Libra acredita que isso é um blefe, mas todos são interrompidos pelo Inércia, que mata a criança e se auto-proclama Kid Zoom.

Zoom sente-se ultrajado com isso, mas Inércia suga seus poderes até fazê-lo voltar a ser o pobre Hunter Zolomon, deixado numa cadeira de rodas. O jovem enlouquecido parte para atacar o Libra, mas a Galeria dos Vilões e o Flautista atacam o garoto com força total até que consigam matá-lo, em troca de tudo que eles lhe causou de problemas. O Libra lhes diz que após terem matado dois velocistas, eles estão prontos para darem conta do retornado Barry Allen em nome de Darkseid. Todos ficam chocados ao saberem do retorno de Barry, mas novamente negam o pedido do enviado do mal, alegando que eles não querem parte em nada que ele defenda, e partem. Libra grita que o mal prevalecerá.

inercia-morto

Ao final de tudo, o Flautista se entrega para a polícia e os Vilões deixam o corpo do Inércia com eles também, com um bilhete ao Flash alegando que, agora, eles estão quites. De volta ao esconderijo, Capitão Frio diz que não consegue dar crédito ao que Libra diz, por não acreditar num mal puro e verdadeiro, já que tudo não passa de tons de cinza. Ele então cancela sua aposentadoria, alegando que o jogo está começando de novo com a volta de Barry, e todos os outros concordam com ele.

Anotações e Referências – Capítulo 1

3-Ao que parece, Luthor ficou meio impressionado com a explosão em Crise Final nº 2. Outro detalhe que se deve perceber é que, durante a passagem de Johns pelo título do Flash, o Capitão Frio é veemente sobre a regra de ninguém na Galeria se drogar, chegando até a socar o Mestre dos Espelhos quando este estava cheirando cocaína em Flash #213. Portanto, na cena da cocaína em Contagem Regressiva #50 provocou uma certa reação dele…

10-James Jesse foi morto pela Pistoleiro em Contagem Regressiva #22. Tar Pit foi uma criação de Johns/Kolins que não aparecia há um bom tempo. Zoom deu as caras em Flash: O Homem Mais Rápido #10, contratado por Íris para atacar Bart protegendo-o de Inércia. Computron é o Coronel Computron, que também andava bem sumido. Ele surgiu em Flash #217, e morreu em Xeque-Mate #11.

12-“Gambi” é Paul Gambi, o Costureiro do Crime, que faz aparições ocasionais desde 1963.

19-A pedra como a primeira arma de assassinato é o símbolo central da Religião do Crime, como pode ser visto em 52 e na Bíblia do Crime. Outro detalhe interessante de se perceber que o Libra comenta que “A pele do mal é a ferramenta do assassinato”. A pele de Darkseid é de pedra.

21-O Inércia foi criado por Todd DeZago, Grant Morrison, Mike Wieringo e Ethan Van Sciver, aparecendo pela primeira vez em Impulso #50, de 1999. Ele foi transformado numa estátua viva em All-Flash #1.

Capítulo 2

4-5-Chill, que aparece aqui, foi criado por Frank Tieri e Jim Calafiore na minissérie Submundo de Gotham. Isso também vale para as versões pobres da Galeria dos Vilões que aparecem na páginas seguinte.

7-A explosão cósmica citada acontece em Flash #196.

13-Johns sempre escreveu o Mago do Tempo como alguém com um pouco mais de cérebro do que os outros vilões.

15-Para quem não se lembra, Sam Scudder, o primeiro Mestre dos Espelhos, morreu em Crise nas Infinitas Terras.

16-O filho do Mago do Tempo apareceu, pela primeira vez, em Flash #170, de 2001. Mais tarde, pôde-se perceber que ele tinha os olhos do pai.

20-Isso se liga diretamente à Crise Final #2 e #3, é claro.

23-Len realmente chorou em Flash #182.

29-Aqui começa um mistério curioso a respeito do Libra. Nesta página eles aparecem vermelhos, sendo que em sua primeira aparição (Liga da Justiça da América #111) eles são totalmente brancos; em Universo DC #0 eles são azuis.

30-Ou púrpura?

Capítulo 3

12-O Mestre dos Espelhos não apenas matou os pais do Flautista, mas também colocou a culpa nele próprio. Ah, sim, McCulloch é um homofóbico também.

13-Ao que parece, o fato de Libra acreditar que era uma blasfêmia foi estabelecido em Contagem Regressiva #10, por Desaad.

19-A persuasão não seria um verdadeiro poder de Libra, já que algumas pessoas parecem resistir a isso, como Lex Luthor, por exemplo. O discurso dele sobre os velocistas é um pouco esquisito também… teorias?

21-“Honra entre ladrões” deve vir de Cicero, mas um dos primeiros usos desta frase clássico documentado vem da tradução de Dom Quixote por Peter Motteaux, no século XVIII.

24-“Ano”. Hm… vamos checar a cronologia. Este “ano” teria que começar com a morte de bart, que coincidiu com a Saga do Relâmpago, mais ou menos na época do feriado de Ação de Graças lá. Isso coincide com a primeira dúzia de edições de Contagem Regressiva, só que esta última se passa alguns meses depois e Planeta dos Condenados nem um mês depois desta. Digamos que tenham se passado terríveis cinco meses pra eles.

25-Zoom era pra ser um mensageiro de Darkseid? Um cara com um Tubo de Explosão precisa de mensageiros? HAIUAHIAUHAIU

28-“O único lugar em que os velocistas não vão procurar”. E seria…?

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com